Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Presos do AM aprendem técnicas de cultivo de hortaliças em projeto “Plantando a Liberdade”

O projeto é fruto de uma parceria entre o Idam de Itacoatiara, a Seap e a Umanizzare Gestão Prisional.

Em busca de uma alimentação saudável, por meio do consumo de verduras e legumes, presos da Unidade Prisional de Itacoatiara (UPI), tiveram a oportunidade de aprender técnicas de cultivo de hortaliças em um projeto desenvolvido dentro da unidade prisional.

O projeto “Plantando a Liberdade” é uma iniciativa inovadora e foi idealizado pela Umanizzare Gestão Prisional. A proposta de criação de horta foi iniciada em 2015, em parceria com a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária, que autorizou a utilização de uma área ligada à unidade.

Durante uma visita na Unidade Prisional de Itacoatiara, o gerente do Idam no município, João Nestor, pôde acompanhar de perto os novos plantios de hortaliças e verduras pelos reeducandos, que receberam o acompanhamento e aprenderam sobre técnicas de semeaduras, adubação do solo e podas.

“O projeto vai viabilizar uma alimentação mais saudável, bem como uma atividade lúdica. Fico feliz em fazer parte de um programa que traz o conhecimento técnico, sobre o plantio e o cultivos de hortaliças para as pessoas que tiveram a liberdade privada”, disse o gerente do Idam em Itacoatiara.

plantando liberdade

De acordo com a gerente técnica da UPI, Maria Domingas Printes, nos próximos dias os reeducandos passam a cultivar verduras e legumes em um local estabelecido, dentro da unidade prisional. Segundo a gerente técnica, o projeto é uma iniciativa inovadora, por meio da qual os reeducandos têm acesso a noções de plantio e cuidado com hortas. Além do caráter terapêutico e profissionalizante o projeto assegura o fornecimento diário de verduras à população carcerária.

“Qualquer curso, profissionalizante ou não, ministrado aos presos enquanto cumprem pena, servem como mecanismo de ressocialização para quando saírem do sistema prisional e proporcionam aos egressos, condições para reintegração social”, afirmou o secretário da Seap, coronel da Polícia Militar, Cleitman Coelho.

De acordo com o secretário da Seap, o projeto ajuda, ainda, na integração social dentro e fora do presídio. “A reabilitação social constitui uma finalidade do sistema de execução penal para que o condenado não volte a delinquir”, destacou Cleitman.

Parceria renovada

Esta semana, o gerente regional do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas de Itacoatiara, João Nestor, esteve na unidade para visitar as instalações da horta e confirmou a parceria de disponibilizar engenheiros para orientar os internos quanto ao plantio.

Período chuvoso

Conforme a gerente técnica da UPI, Maria Domingas, houve um recesso na produção das hortaliças por causa do período de chuva, mas que agora já é possível renovar a horta, “o “Plantando a Liberdade” é uma das atividades que os reeducandos mais gostam, por se tratar de plantas e nós colaboradores também achamos o projeto importantíssimo para a ressocialização deles, pois cuidar das hortaliças é como tratar de um ser humano: é preciso respeitar o tempo, aceitação da semente (pessoa), o brotar, crescer, até dar seus primeiros frutos”, declarou Domingas.

Remição de pena

Além da oportunidade de aprender, com a dedicação junto ao projeto os internos também obtêm o direito de diminuir a pena.

 

*Com informações da assessoria



Categorias:Amazônia

Tags:, ,

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: