Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Postos ainda não vendem diesel mais barato na bomba, em Manaus

Para ter certeza que os estabelecimentos ainda não compraram o combustível com o preço atualizado, as equipes do Procon passaram a manhã desta segunda analisando as notas fiscais de entrada e comparando-as com as notas de saída dos últimos 30 dias.

Aproximadamente dez postos de combustível foram fiscalizados em operação deflagrada pela Ouvidoria e Proteção ao Consumidor (Procon Manaus), na manhã desta segunda-feira (4), uma semana após o fim da greve dos caminhoneiros em Manaus.

Os valores mais baixos para os consumidores de diesel foram registrados nos posto das zonas Oeste e Centro-Sul, onde o litro é vendido de R$ 3,49 até R$ 3,79. Segundo os fiscais do Procon, o consumidor pode ainda demorar a sentir a queda nos preços anunciados pelo governo federal após a manifestação nacional da categoria de caminhoneiros.

Ao fim do acordo entre governo federal e categoria, a redução ficou em R$ 0,46 por litro no preço do diesel nas refinarias. Entretanto, alguns postos em Manaus mantêm o preço antigo, porque ainda não foram abastecidos com o novo valor com descontos provenientes das refinarias.

Para ter certeza que os estabelecimentos ainda não compraram o combustível com o preço atualizado, as equipes do órgão passaram a manhã desta segunda analisando as notas fiscais de entrada (recebida pelo posto ao comprar das distribuidoras) e comparando-as com as notas de saída (a que o posto repassa ao consumidor final) dos últimos 30 dias.

“Em análises preliminares, nós recolhemos as notas e não verificamos irregularidades, mas lógico que esses documentos vão ser levados ao órgão para uma análise mais minuciosa e a partir daí vamos ter um resultado e, caso seja constatada alguma irregularidade, vamos tomar as medidas cabíveis”, afirmou a assessora jurídica do Procon Manaus, Patrícia Lima.

Os postos foram notificados para entregarem ao órgão municipal as notas de abastecimento e de saída por amostragem, de venda, nos próximos dias. A meta é fiscalizar o maior número de postos ao longo da semana. “Ressaltamos que os consumidores são nossos olhos, então se houver algum indício de irregularidade, denuncie” alertou a Patrícia Lima.

O Procon continua fiscalizando e recebendo as denúncias pelo telefone 0800 092 0111 ou WhatsApp 98844-5595.



Categorias:Amazônia

Tags:, , ,

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: