Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Com críticas a Bolsonaro, movimento ‘Mulheres Contra o Fascismo’ fará manifestação em Manaus

O ato está sendo convocado em mais de 100 cidades brasileiras, além de dezenas de cidades do exterior.

Da Redação

O Movimento Mulheres Contra o Fascismo realizará uma manifestação neste sábado (29), no Largo São Sebastião, Manaus. O Movimento iniciou a partir da adesão de diversas mulheres em todo o Brasil nos grupos do Facebook.

O ato está sendo convocado em mais de 100 cidades brasileiras, além de dezenas de cidades do exterior, como Lisboa, Porto e Coimbra (Portugal), Berlim (Alemanha), Lyon (França), Galway (Irlanda), Barcelona (Espanha), Sidney e Gold Coast (Austrália) e Haia (Holanda), dentre outras.

Em Manaus a manifestação é organizada pelo Mulheres 8M – Manaus, que é um coletivo que agrega uma diversidade de movimentos, entidades e mulheres ativistas dos direitos das mulheres; a manifestação visa alertar a população contra as ideias radicais e preconceituosas que incitam a violência, principalmente com as mulheres, defendidas, de acordo com o movimento, por Jair Bolsonaro (PSL), candidato à Presidência da República nestas eleições.

“Nossa pauta é unificada, pois entendemos que a liderança de uma nação exige virtude cidadã, compromisso público, moralidade ilibada, espírito pacifista e dedicação a reduzir e sanar as diferenças sociais envolvendo minorias para o bem estar coletivo”, diz nota divulgada nas redes sociais.

Violência contra mulher

De 2005 a 2015, mais de 830 mulheres foram vítimas de homicídios no Amazonas, aparecendo com o quarto maior crescimento do País, com 139,6%, de acordo com dados do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada).

Quando se confrontam os dados de 2014 e 2015, o Estado salta para o topo do ranking nacional, registrando 80 e 115 assassinatos, respectivamente, com 43,8% de crescimento.

O Brasil continua em 4° lugar no ranking da violência contra mulher e esse número poderia ser maior, mas muitas vítimas deixam de registrar as agressões por medo.

Reforma trabalhista

O Movimento também condena a reforma trabalhista, que permitiu o trabalho de mulheres grávidas em ambientes considerados insalubres e a reforma da Previdência, que aumenta para 62 anos a idade mínima para a aposentadoria de mulheres.



Categorias:Cidades

Tags:,

1 resposta

Trackbacks

  1. Manifestações contra e a favor de Bolsonaro vão acontecer no mesmo local, dia e hora, em Manaus – Redação AM

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: