Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Vídeo de pesquisadora em frente à presídio é verdadeiro, diz Folha

A pesquisa presidencial estava sendo feita ao lado de presídio. A pesquisadora é interrompida por um dos guardas da unidade. Assista.


Da Redação


O site do Jornal Folha de São Paulo publicou, na noite de sexta-feira (5), que o vídeo de uma pesquisadora do Instituto DataFolha em frente ao presídio Corumbaíba, interior de Goiás, que circula nas redes sociais é verdadeiro. O jornal recebeu o vídeo por um canal de “checagem de boatos”.

No vídeo a pesquisadora afirma que não sabia que estava em frente à um presídio.

Conforme publicado na Folha, o vídeo acompanha um texto feito por um policial militar da cidade de Corumbaíba, que tem 9 mil habitantes.

“Agora tá explicado porque o PT tem crescido nas pesquisas. E a funcionária do Datafolha não quer ser filmada. Canalhice do Datafolha. Instituto comprado. Esquerdista e vagabundo”, diz parte da mensagem, segundo a Folha.

Procurado pela reportagem do Jornal, o Datafolha confirmou que a pesquisadora é do instituto.

A Folha informou que fez uma rápida pesquisa pelo presídio de Corumbaíba em um aplicativo de mapas e publicou que é possível ver que se trata de um local próximo a supermercados, igrejas, agências bancárias e um hospital, região ideal para realizar entrevistas.

Ao jornal o Datafolha reiterou que a pesquisadora estava fazendo seu trabalho corretamente e não descumpriu nenhum procedimento. “Estaria errada se abordasse, por exemplo, o guarda que estava na porta da prisão”, comunicou o Instituto ao ressaltar que o procedimento de encerrar a entrevista assim que começou a ser filmada também foi correto.

Segundo o Datafolha, os pesquisadores são orientados a não permitir filmagens.

Com informações da Folha de São Paulo.

Veja o vídeo clicando aqui.



Categorias:Política

Tags:,

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: