Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Governo do AM revogou oito pregões licitatórios em Janeiro, diz deputado

Umanizzare ainda é a empresa que mais recebe do Estado.


Por Asafe Augusto


Manaus – O governo do Estado revogou oito pregões licitatórios referentes ao Sistema Prisional do Amazonas. A informação foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE), do dia 7 de janeiro deste ano, e o assunto foi levado à Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM) pelo deputado de oposição, Wilker Barreto (PHS), na sessão de hoje (14).

(Foto: reprodução)

“O governo, em 7 de janeiro, revogou oito procedimentos licitatórios referentes ao sistema prisional, sendo seis da Umanizzare, e dois do mesmo dia faz emergencial. Não estou questionando o fato de ser emergencial porque é contínuo o serviço. Meu questionamento é pelo fato da suspensão dos procedimentos licitatórios”, afirmou o parlamentar.

Wilker afirmou que a Umanizzare tem o maior contrato de pessoa jurídica com o governo, com cerca de R$ 525 milhões por ano. “Será que o governo não poderia licitar esse contrato?”, questionou.

“O líder do governo fala que precisa de seis meses para terminar um estudo, mas se esperarmos esse tempo estamos falando de R$ 250 milhões, esse valor melhoraria o problema da saúde”, continuou.


(Foto: reprodução)

Em resposta aos questionamentos o líder do governo, deputado Carlinhos Bessa (PV) explicou que os contratos apresentados pelo deputado de oposição, vão vencer em junho, e a Fundação Getúlio Vargas foi contratada pelo governo para realizar um estudo e o processo das licitações.

“Será realizada uma nova licitação em junho para o sistema penitenciário. O governador contratou a Fundação para que haja mais transparência no processo licitatório do sistema penitenciário. Convidamos o Ministério Público e OAB para participar e dar mais segurança jurídica ao processo”, pontuou.


(Foto: reprodução)


Categorias:Política

Tags:, , ,

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: