Jovem diz que matou suposta amante do padrasto para proteger a mãe

Em depoimento, Milane que foi autora do crime, disse que estava com raiva da vítima chamada Francisca, pois ela estaria ameaçando a sua mãe e teria, supostamente, um caso amoroso com seu padrasto.


Da redação


Manaus – A jovem Milane Moraes dos Santos, de 20 anos, que é apontada como autora da morte de Francisca Amorim Queiroz, de 19 anos, ocorrida no último domingo (11), disse que cometeu o crime por estar com raiva e para proteger a mãe. Milene foi apresentada pela polícia ontem (14), e cumpre prisão preventiva por homicídio.

Ela se entregou espontaneamente na última terça-feira (13), após ficar sabendo que estava sendo procurada pela polícia. “Eu me arrependi, não tive a intenção de matar ela. Depois que fiquei sabendo porque me ligaram dizendo que ela tinha sido levada para o hospital. Ela ficava me fazendo raiva, rebolando dentro do salão e falando da minha mãe. Ela tinha se envolvido com meu padrasto e jogava na cara da minha mãe”, disse Milane.

De acordo com o delegado da Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Paulo Martins, o crime aconteceu por volta das 16h de domingo, no bairro Colônia Oliveira Machado, zona sul da capital. Conforme o delegado, na ocasião, as jovens iniciaram uma discussão seguida de luta corporal, quando Milane derrubou a vítima no chão e deu socos na cabeça de Francisca, que já caiu desacordada. Toda a ação foi registrada por uma pessoa que presenciou a briga, e o vídeo passou a circular nas redes sociais.

“Em depoimento, a autora do crime relatou que estava com raiva de Francisca, pois ela estaria ameaçando a mãe da infratora. A jovem que morreu teria, supostamente, um envolvimento amoroso com o padrasto de Milane. No dia do crime, a vítima estava em um salão de beleza, situado no bairro Colônia Oliveira Machado, se arrumando para a festa de aniversário dela, quando a jovem infratora foi até o lugar e a chamou para via pública, onde aconteceu toda a ação”, explicou Martins.

Conforme  de acordo com o delegado adjunto da DEHS, Raphael Campos, foi representado à Justiça o pedido de prisão em nome da autora do crime. A ordem judicial foi expedida no dia 12 de agosto deste ano, pelo juiz Alcides Carvalho Vieira Filho, no Plantão Criminal.

Procedimentos

Milane foi indiciada por homicídio. Ao término dos procedimentos cabíveis no prédio do DEHS, a infratora será encaminhada ao Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF), onde irá permanecer à disposição da Justiça.



Categorias:Polícia

Tags:, ,

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: