Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

AM reduz focos de calor em 70% e municípios saem do ranking nacional de cidades com mais queimadas

Dados apontam que, entre os dias 01 a 05 de setembro de 2019, o Amazonas registrou 525 focos de calor.


Da redação


Manaus – O Amazonas reduziu em mais de 70% o número de focos de calor nos primeiros cinco dias de setembro, em relação ao mesmo período em 2018, de acordo com dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Com a queda no número de queimadas, o Amazonas caiu de 3º para 5º no ranking da Amazônia Legal e deixou de ter municípios na lista dos 10 primeiros municípios com mais focos de calor no país. Os resultados são reflexo da operação realizada no sul do estado por força-tarefa estadual e federal, que iniciou as ações de campo nesta semana.

Os dados do Inpe, divulgados em boletim da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), apontam que, entre os dias 01 a 05 de setembro de 2019, o Amazonas registrou 525 focos de calor. Em 2018, no mesmo período, o estado teve 1.776 focos.

O município de Apuí (a 347 quilômetros de Manaus) apresentou uma das maiores reduções, caindo para 8º no ranking dos municípios do Amazonas com mais focos, após encabeçar a lista por semanas consecutivas. Nos primeiros cinco dias do mês, o município registrou apenas 12 focos de calor.

“Historicamente, a Semana da Pátria (primeira semana de setembro) é a que registra mais altos índices de focos de calor, e conseguimos mudar este cenário com as equipes em campo. E, apesar dos resultados positivos, seguimos em alerta, considerando que o mês de setembro é considerado um dos mais críticos por conta da intensificação da estiagem. Estamos ampliando as ações de educação ambiental, em conjunto com a fiscalização e combate aos focos, para garantir redução no dano à floresta e a qualidade de vida da população amazonense”, afirmou o secretário estadual de Meio Ambiente, Eduardo Taveira.

Para o diretor-presidente do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), Juliano Valente, o trabalho em conjunto com o Exército Brasileiro tem sido essencial para o fortalecimento das ações e a diminuição do dano à Amazônia. “Essa redução mostra a eficiência das ações integradas realizadas pelos governos estadual e federal. Usando inteligência, estamos identificando focos e combatendo as queimadas, evitando danos maiores à floresta. Em paralelo, os fiscais estão autuando e multando quem cometeu ilícitos ambientais”, destacou o diretor-presidente do Ipaam, Juliano Valente.

Sul do Amazonas – Dos dez municípios com mais focos, oito estão no sul do Estado. A região é o foco das operações Curuquetê e Verde Brasil, do Governo do Amazonas e Governo Federal, por meio do Exército Brasileiro. Em dois dias, dois empreendimentos em Apuí e Humaitá (a 590 quilômetros da capital) foram multados em mais de R$ 4,27 milhões por queimadas, desmatamento ilegal e produção de carvão sem licença.

Ação integrada – A operação é realizada em conjunto pela Sema, Ipaam, Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM), órgãos da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), Defesa Civil do Amazonas, Polícia Federal e Exército Brasileiro.

Humaitá foi escolhida como a cidade base da operação, e o município de Apuí também atua como ponto de apoio das ações em campo das tropas de combate às queimadas e desmatamento ilegais. Os Centros Multifuncionais da Sema e Ipaam em Apuí, Boca do Acre e Humaitá funcionam como núcleos para atender às demandas dos agentes envolvidos na operação.



Categorias:Amazônia

Tags:,

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: