Dono do ‘Big Amigão’ emprestou dinheiro para Loja de vinhos fornecer respiradores à Susam

Em depoimento, dono da Loja de vinhos disse que emprestou R$ 2,5 milhões do dono do Supermercado Big Amigão para comprar respiradores e vender acima do preço à Susam. O proprietário do supermercado já foi alvo da PF por fraudar licitação.


Por Asafe Augusto


O dono da empresa FJAP – Vineria Adega, Fábio Passos, que vendeu ventiladores pulmonares ao Governo do Amazonas com valores acima do praticado no mercado, disse que não tinha recursos para comprar esses aparelhos e que emprestou de forma relâmpago R$ 2,5 milhões do dono do Supermercado Big Amigão, o empresário Cristiano da Silva Cordeiro que foi preso em 2006 pela Polícia Federal por comandar um esquema pelo qual as empresas fraudavam licitações e se juntavam para oferecer gêneros alimentícios a órgãos federais, estaduais e municipais.

Cristiano era considerado a “saúva-rainha” pela PF, e comandava o grupo de empresas com maior movimentação no esquema. Sendo elas a Gold Distribuidora de Alimentos, a Norte Distribuidora, a Distribuidora Petrolina, a Global Logística e a Big Norte.

Fábio Passos disse que Cristiano é seu amigo pessoal e o emprestou dinheiro para comprar os respiradores, por ele não conseguir empréstimo no banco.

O dono da loja de vinhos é a quarta testemunha a prestar depoimento na CPI da Pandemia sobre a compra dos respiradores. E durante todo o depoimento o empresário se mostrou nervoso ao responder as perguntas. Ele confirmou que comprou os respiradores da Sonoar por R$ 87 mil e revendeu por R$ 104 mil, e disse que teve um baixo lucro por conta dos impostos. Foram 28 equipamentos vendidos à Susam por R$ 2,9 milhões.

Fábio Passos disse que a dona da empresa Sonoar, Luciana Andrade, entregou os equipamentos pessoalmente no Hospital Nilton Lins, à Susam, mas em seu depoimento, a dona da Sonoar disse que não tinha conhecimento do certame da Secretaria de Saúde e que não sabia que a FJAP estava vendendo para a Susam.

O empresário também relatou que fez a proposta à Susam no dia 6 de abril e no mesmo dia emprestou milhões de reais e no dia 7 comprou da Sonoar os equipamentos. No dia 8 de abril a Susam informou que a FJAP havia vencido o processo e no dia 9 já recebeu o pagamento, mesmo sem a entrega de todos os 28 equipamentos comprados.

De acordo com o deputado Péricles, no dia 13 de abril, depois da venda dos respiradores, o empresário mudou o nome fantasia da empresa que antes era Adega Vinheria para FJAP Imports. O deputado também ponderou que a empresa nunca foi do ramo de equipamentos hospitalares, mesmo assim assumiu o risco de emprestar milhões de reais para comprar os equipamentos e vender ao Governo, sem, em tese, saber se iria ganhar o contrato.

O deputado Wilker Barreto afirmou que as informações no depoimento de Fábio Passos são desencontradas em relação ao depoimento da dona da empresa Sonoar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.