Dono do ‘Big Amigão’ emprestou dinheiro para Loja de vinhos fornecer respiradores à Susam

Em depoimento, dono da Loja de vinhos disse que emprestou R$ 2,5 milhões do dono do Supermercado Big Amigão para comprar respiradores e vender acima do preço à Susam. O proprietário do supermercado já foi alvo da PF por fraudar licitação.


Por Asafe Augusto


O dono da empresa FJAP – Vineria Adega, Fábio Passos, que vendeu ventiladores pulmonares ao Governo do Amazonas com valores acima do praticado no mercado, disse que não tinha recursos para comprar esses aparelhos e que emprestou de forma relâmpago R$ 2,5 milhões do dono do Supermercado Big Amigão, o empresário Cristiano da Silva Cordeiro que foi preso em 2006 pela Polícia Federal por comandar um esquema pelo qual as empresas fraudavam licitações e se juntavam para oferecer gêneros alimentícios a órgãos federais, estaduais e municipais.

Cristiano era considerado a “saúva-rainha” pela PF, e comandava o grupo de empresas com maior movimentação no esquema. Sendo elas a Gold Distribuidora de Alimentos, a Norte Distribuidora, a Distribuidora Petrolina, a Global Logística e a Big Norte.

Fábio Passos disse que Cristiano é seu amigo pessoal e o emprestou dinheiro para comprar os respiradores, por ele não conseguir empréstimo no banco.

O dono da loja de vinhos é a quarta testemunha a prestar depoimento na CPI da Pandemia sobre a compra dos respiradores. E durante todo o depoimento o empresário se mostrou nervoso ao responder as perguntas. Ele confirmou que comprou os respiradores da Sonoar por R$ 87 mil e revendeu por R$ 104 mil, e disse que teve um baixo lucro por conta dos impostos. Foram 28 equipamentos vendidos à Susam por R$ 2,9 milhões.

Fábio Passos disse que a dona da empresa Sonoar, Luciana Andrade, entregou os equipamentos pessoalmente no Hospital Nilton Lins, à Susam, mas em seu depoimento, a dona da Sonoar disse que não tinha conhecimento do certame da Secretaria de Saúde e que não sabia que a FJAP estava vendendo para a Susam.

O empresário também relatou que fez a proposta à Susam no dia 6 de abril e no mesmo dia emprestou milhões de reais e no dia 7 comprou da Sonoar os equipamentos. No dia 8 de abril a Susam informou que a FJAP havia vencido o processo e no dia 9 já recebeu o pagamento, mesmo sem a entrega de todos os 28 equipamentos comprados.

De acordo com o deputado Péricles, no dia 13 de abril, depois da venda dos respiradores, o empresário mudou o nome fantasia da empresa que antes era Adega Vinheria para FJAP Imports. O deputado também ponderou que a empresa nunca foi do ramo de equipamentos hospitalares, mesmo assim assumiu o risco de emprestar milhões de reais para comprar os equipamentos e vender ao Governo, sem, em tese, saber se iria ganhar o contrato.

O deputado Wilker Barreto afirmou que as informações no depoimento de Fábio Passos são desencontradas em relação ao depoimento da dona da empresa Sonoar.

Anúncios


Categorias:Política

Tags:, , , , ,

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: