Justiça analisa suspensão de festas no Rio Preto da Eva

Promotor do MP ingressou com uma Ação Civil Pública para proibir a realização da Marcha para Jesus e Réveillon.


Por Asafe Augusto


O juiz Carlos Jardim, que está de plantão no município de Rio Preto da Eva, deve julgar até amanhã (29), o pedido de suspensão da Marcha para Jesus e festa de Réveillon programados para acontecer nos dias 30 e 31 de dezembro. As festas foram anunciadas pelo próprio prefeito do município, Anderson Sousa, no Facebook.

O promotor de justiça, Vivaldo Castro ingressou, no último domingo (27), com uma Ação Civil pública pedindo a suspensão imediata dos eventos que vão gerar aglomeração em um momento que o número de infectados pela covid-19 tem crescido muito no Amazonas. O magistrado deu prazo de 24 horas para a prefeitura local se manifestar sobre o caso.

Contrariando todos os dados emitidos pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM) que apontam o crescimento expressivo em internações, o prefeito de Rio Preto da Eva afirma que o “vírus está controlado”, e ele ainda liberou todo tipo de atividade no município, inclusive os balneários com aglomeração de pessoas.

Anderson Souza também afirmou que a Marcha para Jesus e o Réveillon já estavam programados e que 90% dos gastos dessas festas já fora executados.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.