Para evitar doenças, peixes vendidos na feira da ADS seguem padrões rigorosos

Os peixes comercializados nas feiras são provenientes da piscicultura, ou seja, são criados pelos produtores seguindo rigorosos padrões.


Por Agência Amazonas

Nas feiras de produtos regionais da Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (ADS), o consumidor encontra produtos de qualidade e com o melhor custo-benefício. Com o pescado, não é diferente. Os peixes comercializados nas feiras, tanto na capital quanto no interior, são provenientes da piscicultura, ou seja, são criados pelos produtores seguindo rigorosos padrões, desde o início do seu manejo, observando a qualidade da água e da alimentação desses peixes, até o momento que ele chega ao consumidor.

Especialistas ressaltam que os peixes provenientes da piscicultura são seguros para a alimentação. O engenheiro de pesca da ADS, pós-doutor em Biologia Aquática, Aprígio Mota, especialista em Patologia, Parasitologia e Ecotoxicologia de Organismos Aquáticos, afirma que os peixes consumidos no Amazonas, especificamente o tambaqui de cultivo, seguem as boas práticas de manejo, controle sanitário e zootécnico sérios, sendo um alimento saudável e nutricionalmente completo.

“Não existe nenhuma preocupação quanto ao consumo, pois ele é seguro e é saudável, de forma que as informações vinculadas à contaminação do peixe estão ligadas ao pescado comumente chamado de ‘pescado de rio’, que não é o caso do pescado comercializado nas Feiras da ADS, que são todos de criadouros. Entretanto, é importante ressaltar que, quanto à possível associação do consumo à doença de Haff, mais precisamente e intensamente na área do município de Itacoatiara, ainda estão sendo realizados estudos pela força-tarefa estadual para detectar as causas e sua relação com o alimento”, afirmou.

Aprígio destaca ainda que não há evidências científicas ou comunicação médica associando a doença de Haff ao consumo de tambaqui ou qualquer espécie amazônica cultivada nas pisciculturas do Amazonas. Além disso, os casos relatados associando a doença ao consumo de tambaqui da natureza são pontuais, raros e ainda necessitam de investigações e análises mais profundas para confirmação científica.

A ADS é responsável por implementar e executar políticas no setor primário, inclusive programas que incentivam a importante cadeia produtiva do pescado e da aquicultura no Amazonas. Dessa forma, Aprígio Mota, reforça a segurança do consumo do pescado comercializado nas feiras patrocinadas pela ADS.

“Os produtores de peixe que estão em nossas feiras possuem certificação de qualidade. Seus peixes são criados em cativeiro, o que o isola do possível local de contaminação, ou seja, os rios. Além disso, os peixes têm acompanhamento técnico desde a sua criação, captura, manejo e comercialização”, destacou.

Nas feiras da ADS, que acontecem de terça-feira a sábado, em 10 pontos da capital, é possível encontrar, por exemplo, o produtor Advaldo Menezes, que há 30 anos trabalha com a piscicultura. Segundo ele, consumir peixe do manejo é seguro e saudável.

Deixe uma resposta