Militar morreu por ter caso com mulher do dono do supermercado Vitória

Traição e desvio de dinheiro. Esses foram os motivos que resultaram no assassinato do sargento do Exército Brasileiro Lucas Ramon Silva Guimarães, que tinha 29 anos. Os suspeitos de ordenar a morte são Joabson Agostinho Gomes e Jordana Azevedo, o casal é proprietário da rede de supermercados Vitória. A informação foi repassada, nesta terça-feira (21), pela Polícia Civil do Amazonas.

Considerados foragidos, a polícia divulgou imagens de Joabson e Jordana Azevedo. Conforme a delegada Marna de Miranda, adjunta da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Joabson descobriu que a esposa dele estava tendo um relacionamento extraconjugal com Lucas e, por isso, teria encomendado a morte do sargento.

“O que as investigações apontam é um relacionamento extraconjugal e que Jordana desviava dinheiro da rede de supermercados. Alguns desses valores ela chegou a dar para o Lucas guardar. No entanto, ele teria devolvido uma quantia de R$ 200 mil que foi entregue no batalhão do Exército a um funcionário da rede de supermercados. Os dois estavam juntos desde dezembro de 2020 quando se conheceram durante as negociações da gráfica de Lucas e da rede de supermercados”, explicou a delegada.

A autoridade policial informou que Joabson descobriu a traição ao mexer no aparelho celular de Jordana. Após ele ameaçar Lucas, a vítima teria contratado até seguranças particulares.

“Representamos pela prisão temporária do casal que foi deferida pela Justiça. No entanto, hoje durante as diligências na casa deles fomos recebidos por advogados. Há indícios de vazamento dessa operação. Realizamos buscas nas unidades do supermercado e apreendemos uma arma roubada com um dos funcionários, que se apresentou como segurança do estabelecimento, localizado na avenida Torquato Tapajós, na Zona Centro-Oeste, e munições na unidade do bairro Coroado, na Zona Leste”, destacou.

O funcionário foi preso em flagrante por porte ilegal de arma de fogo. Já o casal permanece foragido da Justiça. Os dois continuam juntos apesar de Jordana ter sofrido violência doméstica após a descoberta da traição.

As imagens deles foram divulgadas e denúncias sobre o paradeiro do casal podem ser feitas ao número: (92) 98421-5336. A denúncia pode ser feita de forma anônima. O caso segue em investigação.

Outro lado

A reportagem ainda não conseguiu contato com os advogados de defesa do casal e deixa o espaço aberto para um pronunciamento.

Fonte: Em Tempo

Deixe uma resposta