Comissão do Senado Federal aprova Dia Nacional da Cachaça

Foi aprovado nesta quinta-feira (07), pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado Federal, o Projeto de Lei da Câmara no. 173/2017 (PL 5.428/2009) que institui o Dia Nacional da Cachaça, a ser celebrado anualmente no dia 13 de setembro.

O projeto de lei é de autoria do ex-Deputado Valdir Colatto (MDB/SC) e, no âmbito da Comissão do Senado, foi relatado pelo Senador Dário Berger (MDB/SC). Agora, após a aprovação na Comissão, o projeto será submetido ao Plenário do Senado Federal.

O Dia Nacional da Cachaça é uma iniciativa do Instituto Brasileiro da Cachaça (IBRAC), entidade nacional representativa da categoria e já vem sendo comemorado, desde 2009 pelo setor produtivo. A escolha da data tem um motivo histórico: foi em 13 de setembro de 1661 que a Coroa portuguesa liberou a produção e a comercialização da Cachaça no Brasil, após a pressão de uma rebelião de produtores brasileiros, na famosa Revolta da Cachaça

“A Cachaça é símbolo da resistência do povo brasileiro, pois enfrentou preconceitos desde a época do Brasil Colônia, período no qual teve a sua comercialização proibida por várias vezes. A data acentua a relevância da bebida como expressão cultural, pois é um produto genuinamente brasileiro, além de ser um vetor de renda e de desenvolvimento regional e, também, para a economia”, frisa Carlos Lima, diretor executivo do IBRAC.

Atualmente, o setor da Cachaça é responsável por mais de 600 mil empregos diretos e indiretos no país. Em 2020, a bebida foi exportada para mais de 70 países, gerando receita de US$ 9,52 milhões.

“Este é um projeto simples, mas sua aprovação representa um avanço para que a Cachaça seja reconhecida no mercado internacional como uma bebida genuinamente brasileira com relevância cultural e econômica. Além disso, destaca a importância do setor que gera mais de 600 mil empregos e contribui com o desenvolvimento de várias regiões do país”, destaca o Senador Dário Berger.

Deixe uma resposta