“Chega de mensalão, petrolão, rachadinha e orçamento secreto”, diz Moro ao se filiar ao Podemos.

O ex-ministro da Justiça e ex-juiz Sergio Moro participou, nesta quarta, de ato para marcar sua filiação ao Podemos. Em seu discurso no evento, que aconteceu em Brasília, Moro não revelou qual cargo pretende disputar nas eleições de 2022.

O ex-juiz também falou sobre seus projetos de combate à corrupção, além de citar problemas na economia no país. Moro deixou a magistratura ao aceitar o convite do presidente Jair Bolsonaro para assumir o Ministério da Justiça. Ele saiu da pasta em 2020 após divergências sobre o comando da Polícia Federal.

“Eu sempre fui considerado um juiz firme, e fiz justiça na forma da Lei. Na época, todos diziam que era impossível fazer isso, mas nós fizemos. Claro, com grande apoio da população brasileira. Juntos, eu, você, nós, mostramos que a lei se aplica a todos”, destacou.

Moro ainda comentou a passagem pelo governo Bolsonaro como ministro da Justiça e Segurança Pública. “Como todo bom brasileiro, eu tinha, em 2018, esperança por dias melhores. Como todo brasileiro, eu pensava no que havíamos presenciado nos últimos anos: os grandes casos de corrupção sendo revelados dia após dia, os pixulecos, as contas na Suíça e milhões de reais ou dólares roubados”, resumiu.

O Podemos é um partido que se diz independente em relação ao governo Bolsonaro. A legenda, que atualmente tem nove senadores e 10 deputados federais, é presidida pela deputada federal Renata Abreu.

O senador Alvaro Dias (Podemos-PR), um dos principais articuladores da filiação do ex-juiz ao partido, defendeu a trajetória de Moro no âmbito da Lava Jato.

Deixe uma resposta