Comandante-geral da PM diz que gratificação por serviço extra será ampliada ao interior e auxílio fardamento está garantido

O comandante-geral da Polícia Militar do Amazonas (PMAM), Cel. Marcus Vinícius de Almeida, divulgou um vídeo, nesta sexta-feira, 15/04, nas redes sociais, afirmando que é mentira que o Governo do Estado vai por fim no Serviço Extra Gratificado (SEG) e no auxílio fardamento dos policiais. Ambos assuntos foram colocados em evidência pelos deputados de oposição ao governador Wilson Lima (UB), na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) durante esta semana.

Comandante-geral da PM divulgou vídeo rebatendo deputados

A manifestação do comandante-geral veio após o deputado Wilker Barreto (Cidadania) afirmar em discurso na Aleam, que os oficiais e praças da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM) que trabalharem em suas folgas poderão não ter mais a garantia em receber o pagamento do Serviço Extra Gratificado.

De acordo com Marcus Vinícius, o benefício não será extinto, mas sim ampliado a fim de atender os policiais que atuam no interior do Amazonas. “A mudança da lei visa nós podermos ampliar as horas de serviço extra gratificado principalmente para atender os nossos companheiros da Polícia Militar que estão no interior do Estado”, afirmou. 

LEIA MAIS:

Deputados vão analisar alteração no limite de horas extras de policiais e bombeiros militares

Auxílio fardamento

Outro ponto esclarecido no vídeo foi sobre o auxílio fardamento. Segundo o deputado estadual Dermilson Chagas (Republicanos), o coronel Marcus Vinícius tinha interesse de contratar uma empresa para fazer o fardamento dos militares e deixar de pagar o benefício, concedido para policiais militares e bombeiros no valor de R$ 2.745,00. Mas no vídeo, o comandante-geral afirma que isso é uma fake news e que o Governo não vai deixar de pagar o auxílio fardamento.

“O que está sendo feito é um estudo, conforme conversamos com a tropa, para o novo fardamento da Polícia Militar. Esse novo fardamento ainda está em fase de testes e só vai ser aprovado no futuro. Isso não tem nada a ver com o pagamento do auxílio fardamento”, destacou Marcus Vinícius.

O auxílio-fardamento é um benefício para os militares utilizarem na compra de coturnos, boinas e acessórios como cinto e coldre. Em todo o Estado, 8,6 mil policiais e cerca de 700 bombeiros recebem o benefício.

Assista o vídeo:

Deixe uma resposta