“Ele falava baixinho no meu ouvido”, diz paciente de médico preso

Uma paciente do médico anestesista Giovanni Quintella Bezerra, preso acusado de estuprar uma paciente que passava por cesariana, disse nesta terça-feira (12/7) que estranhou várias atitudes do profissional durante o parto.

“Quando retomei a consciência, só escutava a voz dele no centro cirúrgico. Tive a sensação de que estava sozinha com ele. Ele também falava os procedimentos baixinho no meu ouvido, isso me incomodou”, disse a técnica de radiologia Naiane Guedes, de 30 anos, após prestar depoimento na Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de São João de Meriti, na Baixada Fluminense.

Ela fez o parto cesárea no dia 5 de junho, no Hospital da Mãe, em Mesquita. Segundo ela, após a cirurgia, estranhou ter recebido anestesia geral.

“Achei estranho a anestesia geral. Essa é a terceira cesárea e nunca tomei nenhuma anestesia geral. Dessa vez, fiquei completamente dopada e estranhei esse comportamento”, afirmou.

Rafael Marques de Oliveira, de 28 anos, marido de Naiane, contou à reportagem que esteve presente na cirurgia até o filho nascer. “Fiquei ali até ele (Giovanni) pedir que eu me retirasse. Pediu para eu sair. Eu saí com a pediatra e ele ficou lá. Ela foi sedada depois”, afirmou.

Fonte: Metropoles

Deixe uma resposta