Pauderney Avelino articula medida que vai beneficiar mais de 12 mil trabalhadores da indústria

O pré-candidato a deputado federal, Pauderney Avelino (UB) participou do diálogo entre o setor empresarial e o Governo do Estado para a revogação do Decreto 45.899/22, que retirava incentivos de grande parte de empresas com processo produtivo elementar na industrialização. A decisão foi anunciada nesta segunda-feira, 18/7, pelo governador Wilson Lima (UB), durante reunião na Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), no Centro de Manaus.

Pauderney comemorou a revogação anunciada pelo governador e se colocou à disposição para seguir apontando soluções para o Estado. De acordo com ele, a medida vai beneficiar 12 mil trabalhadores do Polo Industrial de Manaus (PIM).

“Essa revogação vai beneficiar cerca 12 mil trabalhadores que estão nessas indústrias. Portanto, é muito importante essa reunião na Federação das Indústrias e todos ficaram muito felizes e satisfeitos com a decisão do governador. É assim que a gente avança, através do diálogo. Me coloquei também à disposição para conversar com o governador de São Paulo e todos aqueles que fazem a política tributária para que a gente possa resolver esse imbróglio que está havendo entre Amazonas e São Paulo, com relação ao crédito e o aproveitamento do crédito dos produtos que saem de Manaus”, disse.

A mudança se aplica para as indústrias fabricantes de produtos, cujo processo produtivo é considerado elementar. Elas teriam o crédito-estímulo reduzido gradativamente, em 0,5% ao mês, até a extinção do benefício, em 5 de outubro de 2023.

De acordo com o governador, a manutenção do diálogo com a indústria é de grande importância para o Amazonas. Lima também destacou a constante atuação de Pauderney Avelino em favor do desenvolvimento da do Polo Industrial e manutenção dos empregos.

“Pauderney é alguém que tem uma ligação muito grande com a indústria, teve um papel fundamental enquanto deputado federal lá em Brasília e continua tendo, inclusive, foi alguém que nos ajudou muito com a rede de contatos e também de conhecimento que tem sobre esse assunto”, destacou Lima.

O presidente da Fieam, Antônio Silva, afirmou que é positivo para a economia do Estado a construção de uma agenda comum entre o Governo e a Indústria.

“O escopo desse encontro não é de crítica, mas sim de avaliação para que possamos estabelecer um denominador comum que atenda as necessidades do Governo e das indústrias. A nossa intenção é de que possamos colaborar. Além disso, estamos aqui também para escutá-lo, escutar acerca de suas ações à frente do Executivo Estadual. Temos no Governo do Estado, talvez, o mais importante parceiro nessa empreitada em defesa e consolidação do nosso desenvolvimento”, afirmou.

Deixe uma resposta