No rádio, Lula critica Bolsonaro sobre mulheres; presidente cita redução de combustíveis

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) usou seu tempo na propaganda eleitoral dos candidatos à Presidência no rádio, nesta quinta-feira (1º), para criticar falas de Jair Bolsonaro (PL) sobre mulheres. Já o atual presidente focou na economia, afirmando que a situação econômica do país está melhorando.

Ciro Gomes (PDT) apresentou a Lei Antiganância, que visa limitar os juros pagos nas dívidas da população, e Simone Tebet (MDB) abordou o orçamento secreto, em crítica ao atual governo.

Durante a sua propaganda, Lula exibiu falas antigas de Bolsonaro e trouxe a sua esposa, a socióloga Rosângela da Silva, a Janja, para afirmar que “está sendo difícil ser mulher no Brasil de Bolsonaro”.

O material exibe falas de Bolsonaro quando o atual presidente era deputado federal. Em uma delas, em entrevista a Luciana Gimenez na RedeTV, em 2016, Bolsonaro afirma que não empregaria uma mulher “com o mesmo salário” de um homem. “A mulher, por ter um direito trabalhista a mais, no caso a licença-gestante, o empregador prefere contratar homem”, disse Bolsonaro, na ocasião.

O petista disse que ninguém “merece um presidente que prega ódio, armas, violência e que desrespeita as mulheres”. A propaganda coloca o ex-presidente como um “contraponto” ao atual mandatário em relação ao tema.

CNN procurou a assessoria do presidente para comentar a propaganda do petista e aguarda uma resposta.

Bolsonaro, por sua vez, apontou que a pandemia e a guerra entre Rússia e Ucrânia causaram a crise econômica mundial, mas que a situação do Brasil está melhorando, citando a redução do desemprego, do IPI e dos combustíveis, e o crescimento do PIB, das exportações e da arrecadação.

“[Em] 2022 os preços dos combustíveis foram lá para baixo e os empregos voltaram a crescer de forma cada vez mais robusta. Quanto mais liberdade tivermos, mais empregos serão criados”, diz Bolsonaro.

O material ainda destaca que o presidente “enfrentou” governadores e a Petrobras para fazer os combustíveis caírem e faz acenos aos eleitores da região Nordeste, citando o sotaque nordestino por parte do apresentador e chamando o atual presidente de “cabra macho”.

Ciro Gomes utilizou o seu espaço para apresentar a Lei Antiganância, que visa limitar o percentual de juros que pode ser cobrado de uma dívida. A ideia é que o limite seja de duas vezes o valor emprestado. “Pegou R$ 100, pagou R$ 200, a dívida está quitada”, diz o pedetista.

Segundo ele, os juros cobrados por bancos do país são os mais altos do mundo. “Com a Lei Antiganância, vamos acabar com esse abuso”, diz.

Simone Tebet fez críticas ao orçamento secreto. “Deputados e senadores sequestraram esse dinheiro, que é do povo, para colocar em lugares que a gente não sabe para onde está indo para ganhar eleição. E o governo federal aceita isso”, disse, após uma breve explicação sobre como funciona o mecanismo.

A propaganda cita que a emedebista acabará com o orçamento secreto em uma canetada e destaca a sua coragem por “enfrentar caciques da política durante a CPI da Covid”.

Debate

As emissoras CNN e SBT, o jornal O Estado de S. Paulo, a revista Veja, o portal Terra e a rádio NovaBrasilFM formaram um pool para realizar o debate entre os candidatos à Presidência da República, que acontecerá no dia 24 de setembro.

O debate será transmitido ao vivo pela CNN na TV e por nossas plataformas digitais.

Fonte: Jornal CNN

Deixe uma resposta