Atlético de Madrid condena insultos racistas contra Vinicius Junior

O Atlético de Madrid condenou os insultos racistas proferidos por torcedores seus torcedores contra o atacante brasileiro Vinicius Junior, do Real Madrid, pouco antes do clássico entre as equipes no último domingo.

“O Atlético condena veementemente os cânticos inadmissíveis que uma minoria de torcedores realizou no exterior do estádio antes da realização do clássico”, afirmou o clube nesta terça-feira em um comunicado.

Ressaltando que a maioria dos torcedores do time “apoia sua equipe com paixão e respeito ao adversário”, o Atlético acrescenta que “estes cânticos provocam uma enorme repulsa e indignação”.

“Não vamos permitir que nenhum indivíduo se esconda atrás de nossas cores para proferir insultos de caráter racista ou xenófobo”, continua a nota.

Pouco antes do início do jogo entre Atlético e Real Madrid pela 6ª rodada do Campeonato Espanhol, torcedores ‘colchoneros’ proferiram cânticos racistas contra Vinicius Junior.

Durante a partida, vencida pelo time merengue por 2 a 1, o brasileiro foi vaiado cada vez que pegava na bola.

O Atlético também informou que planeja “a expulsão imediata” dos torcedores envolvidos que são sócios do clube.

“Pedimos sanidade e racionalidade aos torcedores, porém profissionais de diversas áreas geraram uma campanha artificial durante a semana, acendendo o estopim da polêmica sem medir o impacto de suas ações e manifestações”, acrescentou o clube.

O Atlético parece se referir às declarações de Pedro Bravo, presidente da Associação Espanhola de Agentes de Futebolistas (AEAF), ao comentar as comemorações do brasileiro em campo.

Durante o programa de televisão ‘El Chiringuito’, Bravo disse que o jogador deveria “respeitar seus companheiros de profissão e parar de agir como macaco”.

Embora o agente tenha se desculpado, sua fala gerou reações em apoio a Vinicius vindas outros jogadores e personalidades do Brasil e do Real Madrid.

O próprio jogador também divulgou uma mensagem em suas redes sociais contra o racismo e a xenofobia.

Deixe uma resposta