Em Manaus, obras de redes de água devem beneficiar mais de 25 mil pessoas com água potável até o fim do ano

Manaus é a capital brasileira que mais avançou em cobertura de água tratada nos últimos anos, de acordo com dados do Instituto Trata Brasil. E, para acompanhar o ritmo de crescimento da cidade, uma série de investimentos continuam acontecendo, para garantir que comunidades recentemente regularizadas, possam receber o serviço de água tratada pela primeira vez.

Atualmente, comunidades das zonas Norte, Leste e Oeste estão recebendo obras de implantação de infraestrutura de abastecimento. Elas vão garantir água potável para mais de 25 mil pessoas. Ao todo, estão sendo executadas obras que somam cerca de 35 mil metros de novas tubulações de água tratada. As obras tem previsão de entrega até o fim do ano.

“Nossa cobertura é 98% da cidade com abastecimento de água tratada. No entanto, precisamos acompanhar o crescimento da cidade, ou seja, levar saneamento para comunidades que estão recebendo regularização fundiária. Por isso nunca paramos, pois nosso objetivo é levar melhoria para a qualidade de vida da população manauara”, destacou o gerente de Responsabilidade Social da concessionária, Semy Ferraz.

Cidade saneada

Na zona Norte, famílias de comunidades como Itaporanga, que existe há cerca de oito anos, e do complexo que compreende as comunidades Acará e Novo Milênio, que estavam há 17 e 13 anos, respectivamente, aguardando pela estrutura, já convivem com a transformação que irá proporcionar uma nova realidade com melhoria no bem-estar de pelo menos 13,2 mil pessoas.

Já na zona Oeste, as obras seguem em ritmo acelerado para contemplar aproximadamente cinco mil pessoas na comunidade Ismail Aziz. O local está recebendo cerca de 5,5 quilômetros de rede de água que irá beneficiar mais de 4,5 mil moradores. Em outra parte da mesma zona, na comunidade União da Vitória, mais 1,5 mil pessoas também serão atendidas.

“Estão trazendo o progresso para nossa comunidade. Apesar de estarmos aqui há quase 14 anos, esta é a primeira vez que uma empresa olha por nós. Estamos todos muito felizes pois com a chegada da água, chegará também saúde e melhores condições de vida para todos”, destacou o líder comunitário, André Lima, de 41 anos, e que vive no local desde a fundação da comunidade.

Na zona Leste, a chegada da água tratada também já é uma realidade. Comunidades como Nova Conquista, Nossa Conquista e Nossa Vitória já contam com cerca de 10 quilômetros de redes de água que irá levar o líquido para aproximadamente 5,5 mil pessoas. Todas as obras estão em fase final de execução e devem ser entregues até o fim deste ano.

Desenvolvimento

Desde que chegou à cidade, a Águas de Manaus não mediu esforços para realizar a extensão de rede de água tratada, bem como implantar novas redes para locais socialmente vulneráveis, como em becos, palafitas, áreas de rip-rap e comunidades da área urbana da cidade. Moradores da rua 7 de Abril, no bairro Zumbi, zona Leste de Manaus, são uma prova deste atendimento humanizado da concessionária. O local existe há cerca de 35 anos, mas somente agora começou a receber água tratada e regularizada nas torneiras.

A dona de casa Lúcia Rodrigues, de 65 anos, mora no local desde o início e relata que já percebe os impactos positivos. “Passei minha vida tendo que comprar cano para fazer ligação clandestina. A água chegava muitas vezes suja, sem falar que ainda tínhamos os problemas quando vândalos quebravam as tubulações. Hoje vamos economizar na compra de água para beber, de canos e ainda temos a certeza de estar consumindo água com qualidade”.

Nas regiões de vulnerabilidade, os moradores também são cadastrados na Tarifa Manauara, que concede 50% de desconto no valor das faturas. “Queremos construir um legado positivo em Manaus. Hoje, já temos mais de 100 mil famílias cadastradas na Tarifa Social e universalizamos o acesso à rede de água. Da mesma forma, devemos realizar investimentos no sistema de esgoto nos próximos anos. Assim, estamos contribuindo para o desenvolvimento da cidade em relação ao saneamento”, ressaltou Diego Dal Magro, diretor-executivo da Águas de Manaus.

Deixe uma resposta