Ministros do TSE se reúnem com presidente e vice-presidente eleitos

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Alexandre de Moraes, recebeu nesta quarta-feira (9) o presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva e o vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin. Também participaram da reunião os integrantes da Corte Eleitoral: a ministra Cármen Lúcia e os ministros Ricardo Lewandowski, Benedito Gonçalves, Sérgio Banhos, Raul Araújo e Carlos Horbach.

Alexandre de Moraes enfatizou o trabalho incansável da Justiça Eleitoral, que, além de atuar de forma ininterrupta para a organização e a coordenação das eleições, atuou com mecanismos jurídicos, como resoluções específicas para enfrentar a desinformação, garantir a votação nas diversas localidades do país e assegurar a integridade do sistema eleitoral brasileiro.

“Depois de uma jornada longa, venceu a democracia. Nós somos a quarta democracia do mundo em número de eleitores. As eleições terminaram às 17h [de domingo, 30 de outubro], e às 19h58 anunciamos o vencedor. Em três horas, resolvemos de forma segura e transparente, com a observação de organismos internacionais e de instituições brasileiras como o Tribunal de Contas da União (TCU) e a Ordem dos Advogados do Brasil”, destacou Moraes.

O presidente eleito ressaltou a importância do enfrentamento da desinformação e da atuação de instituições, como a Corte Eleitoral, para assegurar a lisura do processo eleitoral. “Nossa visita é para demonstrar o respeito às instituições. A Justiça Eleitoral é a guardiã da democracia. A urna eletrônica é uma conquista do povo brasileiro”, afirmou Lula.

Ainda estiveram presentes, acompanhando os eleitos, a presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), deputada Gleisi Hoffman, o deputado Paulo Teixeira (PT-SP), o senador Randolfe Rodrigues (Rede Sustentabilidade-AP), o procurador da Fazenda Nacional Jorge Messias, o senador eleito Flávio Dino (PSB-MA), o coordenador dos Grupos Técnicos da Transição de Governo, Aloizio Mercadante, e os assessores jurídicos Cristiano Zanin (PT) e Eugênio Aragão (PT). A reunião durou cerca de 45 minutos.

Deixe uma resposta