Diabetes: falta de adesão ao tratamento compromete resultados do controle

Síndrome metabólica de origem múltipla, o diabetes já acomete 15,7 milhões de pessoas no país, sendo 185 mil só no Amazonas, e deve chegar a 2045 com 23,2 milhões de brasileiros afetados, segundo o Atlas Diabetes 2021. Os números preocupam principalmente por já existir métodos de rastreio para a doença, o que pode ser feito tanto na rede pública quanto privada, inclusive em farmácias, consideradas estabelecimentos de saúde pela Lei 13.021/2014.

Especialistas alertam que a não adesão correta ao tratamento medicamentoso pode comprometer seriamente os resultados esperados para o controle do diabetes, impactando na qualidade de vida do paciente. Neste contexto, o papel educativo do farmacêutico é fundamental.

“Na drogaria, é o farmacêutico quem está mais qualificado para educar o paciente, fazer o rastreio dos possíveis sintomas e histórico familiar. Para quem já tem o diagnóstico dado pelo médico, o profissional organiza a prescrição e monitora o controle glicêmico, pois os pacientes com diabetes precisam manter o uso correto dos medicamentos e ter uma boa alimentação. Como a ida às drogarias é mais constante que aos médicos, o farmacêutico desempenha esse papel de monitor”, afirma a coordenadora farmacêutica do Grupo Tapajós, Sabrine Cordeiro.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), divulgados pelo Conselho Federal de Farmácia, menos de 60% dos pacientes com diabetes seguem as prescrições dos medicamentos. Portanto, o monitoramento do tratamento por parte dos farmacêuticos acaba sendo um meio de os pacientes terem acesso rápido à informação, facilitando a continuidade dos cuidados com a saúde.

Espaço dedicado

O suporte aos diabéticos nas farmácias tem se estendido também para a criação de ambientes especificamente dedicados a pessoas com a doença. É o caso do espaço ‘Diabetes: Nós Cuidamos’, que está sendo implementado neste mês de novembro em quatro lojas da rede Santo Remédio e em uma da rede FarmaBem, ambas do Grupo Tapajós.

Os espaços vão reunir os produtos mais buscados e os lançamentos voltados ao público diabético. Além disso, o paciente terá à disposição um farmacêutico para orientá-lo sobre usos e associações. Esse profissional recebeu treinamento com o protocolo clínico específico de atendimento a diabéticos. “Dermoconsultores também estão sendo capacitados para atender os pacientes nesse novo espaço, já que diabéticos costumam ter problemas de ressecamento da pele”, explica Sabrine Cordeiro.

Segundo a farmacêutica, o espaço será mais uma forma de personalizar o atendimento aos pacientes com diabetes, que atualmente já dispõem de uma série de serviços nas farmácias do Grupo, como acontece, por exemplo, no ambiente Farma Clinic, da Santo Remédio. “Oferecemos testes de glicemia e hemoglobina glicada (ambos para medir o nível de açúcar no sangue); avaliação antropométrica [peso, altura, circunferência abdominal e outras informações de saúde] e até mesmo o teste Findrisc, que avalia a chance de você desenvolver diabetes nos próximos dez anos”, comenta.

Além dos exames, as farmácias do Grupo Tapajós também dispõem de toda a lista de medicamentos para o tratamento de pacientes, como insulina, cápsulas e comprimidos; dermocosméticos para diabéticos com problemas de ressecamento de pele; aparelhos de controle e monitoramento da glicose, os glicosímetros; curativos e outros produtos relacionados.

Foto: Freepik

Deixe uma resposta